‘Eu pensei: morremos, morremos’, relata PM sobrevivente de ataque no Potengi

‘Eu pensei: morremos, morremos’, relata PM sobrevivente de ataque no Potengi

Um dos policiais que sobreviveu ao atentado no rio Potengi nessa quinta-feira (10) relatou a amigos, em áudio obtido pela reportagem, o desespero pelo qual ele e mais dois colegas, também policiais, passaram.

“A gente estava descendo para o Alecrim [pelo rio] a uns 500 metros da base. Eles foram encostando e perguntaram se a gente estava pescando”, descreve o PM identificado como sargento João Maria Silva.

Pelo relato, situado nas imediações do Paço da Pátria, eles responderam afirmativamente à pergunta, quando foram surpreendidos pelos tiros.

“Eu só ouvi então os tiros: ‘bum, bum, bum’. As cipoadas na água”, descreve o sargento com a voz embargada.

Ele narra ainda que sentiu algo atingi-lo no peito antes de saltar para a água, quando pensou que era o fim: “Eu pensei: pronto. Morremos! Morremos!”.

O caso

Na tarde dessa quinta-feira, três policiais pescavam no rio Potengi quando foram alvejados pela ação de bandidos. Dois sobreviveram e um deles, o subtenente Amaurí Soares Firmo, está desaparecido. Ele se aposentou há três semanas.

Além do subtenente, estavam na embarcação o sargento João Maria da Silva e um agente da polícia civil, de nome ainda não revelado. João Maria só foi encontrado depois das 22h dessa quinta, escondido em um viveiro de camarão.

VIA PORTAL NO AR

Leia também

comentários